A Universidad de Chile faturou o primeiro título internacional da sua história em grande estilo. Na noite de quarta-feira, em casa, a equipe conquistou a Copa Sul-Americana ao derrotar a LDU por 3 a 0, no Estádio Nacional, em Santiago. A equipe já havia triunfado no primeiro jogo da decisão, disputado em Quito, por 1 a 0.

O título da Universidad de Chile foi conquistado de forma arrasadora. A equipe terminou a Copa Sul-Americana invicta, com dez vitórias e duas derrotas em 12 partidas disputadas. Na campanha, a equipe eliminou dois times brasileiros: o Flamengo, nas oitavas de final, e o Vasco, nas semifinais.

O atacante Eduardo Vargas foi o principal herói da conquista da Universidad de Chile ao marcar dois gols na finalíssima. Assim, terminou a Copa Sul-Americana como artilheiro do torneio, com 11 gols marcados. A conquista de quarta-feira também encerrou um jejum de 20 anos sem títulos internacionais do futebol chileno, que não comemorava um título sul-americano desde que o Colo Colo foi campeão da Libertadores de 1991.

A Universidad de Chile começou a decisão em situação confortável por ter vencido o primeiro jogo e ficou ainda mais perto do título aos dois minutos do primeiro tempo, quando Vargas abriu o placar da partida. A equipe chilena seguiu com a partida sob controle, mas voltou a marcar apenas na etapa final.

A LDU ficou com dez jogadores em campo aos 22 minutos, com a expulsão de Jorge Guagua. E a Universidad de Chile aproveitou a vantagem numérica para marcar o seu segundo gol aos 34 minutos, com Gustavo Lorenzetti. A equipe chilena ainda perdeu um jogador, com o cartão vermelho recebido por Matias Rodríguez. Mesmo assim, a Universidad de Chile voltou a marcar. Aos 43 minutos, Vargas fez fila na defesa da LDU e marcou um golaço para definir a histórica e irretocável conquista da equipe chilena.